Aqui você se encontra!

5 habilidades essenciais para aumentar a Inteligência Emocional

cerebro-xray
  • 25 de Abr de 2017
  • Sheila Almeida
  • 1361 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

A Inteligência Emocional (IE) é a capacidade de identificar, usar, entender e gerenciar as emoções de maneira positiva para aliviar o estresse, comunicar de forma eficaz, ser empático com os outros, superar desafios e resolver os conflitos. A Inteligência Emocional impacta muitos aspectos diferentes da sua vida diária, tais como a forma como você se comporta e a forma como você interage com os outros.

Se você tem uma alta inteligência emocional você é capaz de reconhecer o seu próprio estado emocional e os estados emocionais dos outros, e se envolver com as pessoas de uma forma que as atrai. Você pode usar essa compreensão das emoções para se relacionar melhor com outras pessoas, formar relacionamentos mais saudáveis, obter maior sucesso no trabalho e levar uma vida gratificante.

A Inteligência Emocional é composta essencialmente por quatro atributos:   

Autoconhecimento – Você reconhecer suas próprias emoções e como elas afetam seus pensamentos e comportamento, conhecer seus pontos fortes e fracos, e ter autoconfiança.

Autocontrole – Você é capaz de controlar os sentimentos e comportamentos impulsivos, controlar suas emoções de maneira saudável, tomar a iniciativa, acompanhar, através de compromissos, e adaptar-se às novas circunstâncias.

Consciência Social – Você pode entender as emoções, necessidades e preocupações de outras pessoas, se sentir confortável socialmente, e reconhecer as dinâmicas de poder em um grupo ou organização.

Gestão de Relacionamento – Você sabe como desenvolver e manter boas relações, comunicar com clareza, inspirar e influenciar os outros, trabalhar bem em equipe e administrar conflitos.

Por que a Inteligência Emocional é tão importante? Como sabemos, nem sempre as pessoas mais inteligentes são as mais bem-sucedidas e realizadas. Você provavelmente conhece pessoas que são academicamente brilhantes, mas são socialmente ineficientes e sem sucesso no trabalho ou em suas relações pessoais. Inteligência intelectual não é o suficiente para ser bem sucedido na vida. Sim, o seu QI pode ajudá-lo a entrar na faculdade, mas é a sua IE que irá ajudá-lo a gerenciar o estresse e emoções quando precisar passar por provas e exames.

A inteligência emocional afeta:   

Seu desempenho no trabalho. A Inteligência Emocional pode ajudá-lo a lidar facilmente com as complexidades sociais do local de trabalho, liderar e motivar os outros, e se destacar em sua carreira. Na verdade, quando se trata de selecionar os candidatos para um emprego, muitas empresas agora vêm a Inteligência Emocional como sendo tão importante quanto a capacidade técnica e solicitam o teste de Inteligência Emocional antes de contratar.

Sua Saúde Física. Se você é incapaz de gerir seus níveis de estresse, que podem levar a sérios problemas de saúde. Estresse descontrolado pode aumentar a pressão arterial, suprimir o sistema imunológico, aumentar o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, contribuir para a infertilidade e acelerar o processo de envelhecimento. O primeiro passo para melhorar a inteligência emocional é aprender a aliviar o estresse.

Sua Saúde Mental. O estresse descontrolado também pode afetar a sua saúde mental, tornando-o vulnerável a ansiedade e depressão. Se você é incapaz de compreender e gerir as suas emoções, você também vai estar aberto a mudanças de humor, enquanto a incapacidade de formar relacionamentos fortes pode fazer sentir-se sozinho e isolado.

Seus Relacionamentos. Ao entender suas emoções e como controlá-las, você é capaz de expressar o que sente e entender como os outros estão sentindo. Isso permite que você se comunique de forma mais eficaz e construir relações mais fortes, tanto no trabalho como na sua vida pessoal.

Como aumentar sua Inteligência Emocional. Todas as informações que chegam ao cérebro veem através de nossos sentidos, e quando esta informação é esmagadoramente estressante ou emocional, o instinto assume e nossa capacidade de agir se torna limitada a dispersão, reação, ou a congelar. Portanto, para ter acesso à vasta gama de opções e a capacidade de tomar boas decisões, é preciso ser capaz de manter as nossas emoções em equilíbrio.

A memória também está fortemente ligada à emoção. Ao aprender a ficar conectado à parte emocional de seu cérebro, bem como à parte racional, você não só vai expandir o seu leque de opções quando se tratar de responder a um novo evento, mas você também vai levar a memória emocional em seu processo de tomada de decisão. Isso vai ajudar a evitar a repetição de erros anteriores.   Para melhorar a sua inteligência emocional e sua habilidade de tomada de decisão, você precisa entender e gerenciar suas emoções. Isto é possível através do desenvolvimento de competências-chave para controlar e gerir o estresse e se tornar um comunicador eficaz.

 

Deixe um comentário