Aqui você se encontra!

O que é Espiritualidade?

reincarnacao
  • 05 de Abr de 2016
  • Sheila Almeida
  • 1239 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Espiritualidade pode ser definida como um sistema de crenças que engloba elementos subjetivos, que transmitem vitalidade e significado a eventos da vida. Essa crença pode mobilizar energias e iniciativas extremamente positivas, com enorme potencial para melhorar a qualidade de vida. As implicações da espiritualidade na saúde vêm sendo estudadas cientificamente e documentadas em centenas de artigos.

A religião é uma das formas de se praticar a espiritualidade, embora não seja a única.  E não existem religiões melhores do que outras, uma vez que todas as linhas têm um ponto em comum, que é a orientação para a busca do sentido de cada ser, da compreensão do significado das experiências vividas, da transmissão do amor, do perdão, da compaixão e da bondade.

A prática da espiritualidade é um exercício diário e permanente para cada pessoa.  Consiste, basicamente, na busca pelo contato com seu Eu Interior, com a sua Essência e também na procura pela conexão entre esse Eu Interior e o Universo em que está inserido. Não tem que ser religiosa nem tradicionalista e pode constituir-se por breves momentos. É conquistada gradualmente, ao longo de toda a vida.

Somos seres complexos, misteriosos, emotivos, belos, enigmáticos. Há em cada um de nós uma profundidade que não conseguimos alcançar. Estamos sempre questionando nossa própria essência, o sagrado e o universo. Além disto, temos necessidade de significado e sentido para a vida.

Por possuir toda esta complexidade, o homem é considerado um ser biopsíquico, social e espiritual. Na verdade, estas são divisões didáticas para representar a totalidade humana. As dimensões físicas, psíquicas e sociais são muito estudadas. Mesmo sendo a maior força geradora de sentido, a espiritualidade e sua influência nos processos de saúde ou no contexto da doença, só recentemente despertaram interesse científico.

As vivências espirituais não são menos reais do que as necessidades biológicas e sociais. Podem trazer novo sentido e reorganização à vida. Por vezes, transformam aspirações, desejos e motivações e despertam valores universais como empatia, ética, compaixão e amor incondicional. Mais ainda, são experiências subjetivas da consciência que integram pensamento, sensação, intuição e emoção.

Deixe um comentário