Aqui você se encontra!

Tempos de Crise, Ansiedade, Medo e Depressão

mulher-ruendo-unhas
  • 07 de Jul de 2015
  • Sheila Almeida
  • 1218 Visualizações
  • Seja o primeiro a comentar

Cresce o número de pessoas que procuram ajuda para tratar sintomas de ansiedade e de depressão causados por problemas como o desemprego, a dificuldade para pagar dívidas e a falta de confiança no futuro do País. O medo cresce, a satisfação com a vida cai. O mercado torna-se a cada dia mais enxuto, a pressão por bons resultados é intenso e a ameaça da perda do emprego é constante. O demitido sofre com a  angustia de se recolocar, mas depara-se com portas cada vez mais fechadas.

Nos jornais a avalanche de más noticias asfixia, com perspectivas tão pouco animadoras para os próximos meses. Uma recomendação vinda dos consultórios médicos e psicoterapêuticos, onde houve uma procura maior, devido à saúde mental das pessoas que sofrem com a crise, é evitar se entregar à crise. A ansiedade e a depressão são enfermidades diferentes, mas possíveis de serem desencadeadas ao mesmo tempo parece que vem testar a nossa resiliência.

A ansiedade é um mecanismo do corpo que ajuda a se preparar para situações adversas e ameaçadoras. Só que se esse estado de prontidão não se desarmar, poderá ocasionar um mal maior: a ansiedade crônica. A depressão traz sintomas contrários, pois a enfermidade ocasiona apatia e a extrema dificuldade de enxergar novas perspectivas. Em tempos tão graves de crise todos precisam de mecanismos para desestressar, se não conseguir talvez seja necessário sim, seguir alguma orientação médica e talvez até tomar algum medicamento.

Todos precisam então aumentar a resiliência e reorientar o foco. Não devem só focar no lado mais sombrio de uma situação, mas devem encontrar novas maneiras mais positivas de analisar a situação. O que se pode fazer? A pessoa pode mapear o que tem de melhor e começar uma nova fase. Um momento terrível pode ser um momento de libertação. A noticia ruim é que não existe remédio rápido para a crise, mas remédios existem, é a boa noticia. Todos deveriam também entender que numa crise precisam sempre ter duas listas, a do que não podem fazer e a do que devem fazer.

Os Dez Sinais de que a Crise está fazendo você sofrer de Ansiedade

  • Há vários episódios de Respiração Acelerada ou Falta de Ar
  • Taquicardia (coração bate mais rápido que o normal)
  • As mãos ficam frias
  • Náuseas
  • Palidez
  • Tremores
  • Irritabilidade
  • Dificuldade para se concentrar
  • Sensação de que o corpo está em permanente prontidão para enfrentar alguma ameaça
  • Cansaço

Os Dez Sinais de que a Crise está fazendo você sofrer de Depressão

  • Alterações de Humor, como sentir-se triste ou desanimado
  • Perder o interesse por atividades que antes traziam alegria. Inclui ações na vida pessoal, como o sexo, e/ou profissional, como abandonar um projeto
  • Insônia
  • Aumento ou perda de apetite
  • Modificação do peso (para cima ou para baixo)
  • Dificuldade para se concentrar
  • Cansaço Permanente
  • Apatia
  • Sentimentos de Inutilidade
  • Ideias Suicidas

A maioria dos indivíduos chega na frente do médico ou psicoterapeuta com queixas de insônia, irritabilidade, dificuldade de concentração, apatia, cansaço. Na origem dos sintomas estão o medo de perder o emprego, a ansiedade em saber se será possível encontrar um novo trabalho, falta de dinheiro, e a continuidade de notícias ruins sobre o País, sem perspectiva de que isso mude a curto prazo.  A crise traz uma situação de alerta a todos, que gera insegurança. Além disso, o clima atual também pode recrudescer a manifestação da ansiedade e da depressão em pacientes já diagnosticados. Nesses indivíduos, em tratamento e sabidamente predispostos, a crise leva ao agravamento dos sintomas. A associação entre crises e doenças psiquiátricas é algo indiscutível aos olhos da ciência.

TAGS: enfermidades, depressão, ansiedade, sofrimnto, adversidade, tempos complicados, crises, pressão arterial, batimentos cardíacos, ameaçadora

Deixe um comentário